domingo, 16 de junho de 2013

Nova página no menu: Vídeos

Agora temos nova página no blog. Olhe acima no menu: Vídeos. Clique lá e assista um trechinho de Torres del Paine!!!!

Enjoy it!!! Espero que gostem!



Por: Izabel

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Todos


Nossos companheiros expedicionários... Esquecê-los? Jamais!


"Não vês que somos viajantes?
E tu me perguntas:
Que é viajar?
Eu respondo com uma palavra: é avançar!
Experimentais isto em ti
Que nunca te satisfaças com aquilo que és
Para que sejas um dia aquilo que ainda não és.
Avança sempre! Não fiques parado no caminho."

          Santo Agostinho



Por: Izabel Pariz

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Quanto custa?

Uma das perguntas que mais nos fazem é aquela clássica: afinal, "quanto custou"?

Bom, vamos lá então: não vou colocar um valor X, mas vou colocar uma média de quanto gastaríamos e quanto realmente gastamos por dia no final das contas.

Inicialmente, pelos planos mais antigos, pretendíamos ficar fora durante uns 30 dias pelo menos. Mas ao fazermos todo o planejamento da rota, vimos que seria melhor calcularmos tudo para 36 dias (como descrito no adesivo: dia 26/12 a 30/01. Acabamos ficando 37, somando o dia em que saímos da cidade até o da chegada. Planejar é importantíssimo, alterações são previsíveis e conseguimos atingir o que foi previsto, somando apenas um dia a mais que ficamos em Foz do Iguaçu.

Planejamos durante os 36 dias gastar até 400 reais por dia. Se ultrapassássemos os 400, compensávamos depois economizando mais. Bom, nessa brincadeira toda, do valor de até 400 reais multiplicados por 36 (dias), gastamos uns 5% a mais. E isso porque na verdade, acabamos comprando souvenirs para nós mesmos, família e amigos, roupas e outras coisas mais.

Vale a pena o gasto? Vale mais do que você pensa. "Encher a bagagem" da vida não tem preço!


Hailton apreciando o Glaciar Perito Moreno



Por: Izabel Pariz

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Algumas lições aprendidas

Planejar um roteiro para uma viagem longa como a nossa é de suma importância. Há quem prefere não planejar muito, deixar rolar e claro que isso também tem seus encantos. Mas se quiser se organizar melhor, principalmente no quesito "dinheiro", você precisa de uma rota traçada e de um bom planejamento. Todo o santo dia anotávamos todas as despesas, quilometragem, hotéis, endereços, horários, tudo.


Mapa dos primeiros dias

Claro que, apesar da precisão do roteiro e depois de muitos estudos para chegar a um plano, passamos por algumas intempéries. Imprevistos podem acontecer e você precisa estar preparado para os acasos. E a viagem não teria tanta graça sem eles, pois são desafios. Mesmo assim, deixamos aqui algumas lições aprendidas. Com os erros é que aprendemos e que podemos galgar os degraus do sucesso.

- Planejar distância menor
Houve dias em que só rodávamos o dia todo as estradas para chegar a uma cidade e só dormir. Era por causa do tempo limitado que tínhamos para desfrutar dos lugares do mapa que realmente queríamos parar por uns dias e conhecer melhor. 

Então, para não haver um cansaço muito grande de quem dirige e outros problemas que possam existir (mecânicos, por exemplo), o recomendado seria viajar no máximo uns 600 km de distância em um dia. Pois assim, quando for necessário procurar hospedagem, não ficará tão exausto e terá mais tempo até para mais coisas (como por exemplo, procurar um lugar para fazer um lanche ou jantar).

- Não reservar hotel
Nós reservamos apenas 6 hotéis ao todo pelo menos um mês antes da viagem. Ainda bem! Na verdade, nem era tão necessário assim fazer reserva. Não tivemos grandes dificuldades em encontrar hospedagens. Sempre que parávamos em uma cidade, conseguíamos hotéis disponíveis, mesmo sendo janeiro. E se tiver receio, leve um notebook ou um celular com internet. 

Sempre conseguíamos parar em algum posto ou uma lanchonete que tinha wi-fi grátis. Vários hotéis também tinham. Por exemplo, do hotel mesmo você já reserva outro. Você consegue hospedagem um dia antes ou até no mesmo dia pela internet. Nós sempre usávamos o site Booking para isso, não tem erro, é garantido. O problema em reservar hotel com muita antecedência é o fato de você não conseguir chegar no dia certo (aconteceu conosco) e perder a reserva, tendo que pagar mesmo sem se hospedar. Há ofertas de cancelamento grátis, mas exigem um prazo para isso, então pode-se correr um risco de todas as formas.

- Explicar código de ultrapassagem
É importante comunicar ao comboio as particularidades de outros países. No Brasil, para dar passagem ao outro motorista, usamos a seta à nossa direita. Na Argentina, é o contrário. 

- Abastecer no dia anterior
Para que não haja atrasos e que possa chegar nos lugares com mais folga, o ideal é abastecer no dia anterior e sair cedo. Essa é a rotina de expedicionário, mas havia dias em que estávamos super cansados e nem sempre conseguíamos seguir essa regra. Normal!

- Mais adesivos
Fizemos alguns adesivos para trocar com outros viajantes e principalmente colar nos lugares. Mas nos arrependemos de não termos feito mais. Passávamos em postos, lanchonetes, lojas e até hotéis cheios de adesivos de outras expedições e queríamos ter mais para deixar nossa impressão em todos. Na próxima vez, faremos também mais adesivos menores.

- Levar nossa própria água mineral
Se puder, se tiver espaço, leve garrafas daquelas enormes. Sentimos falta da nossa água que tem melhor qualidade e é barata. Lá fora, a água é bem cara!

- Leve dólar
Bem melhor se trocar bastante real por dólar no Brasil mesmo. O câmbio na Argentina e Chile valoriza bem essa moeda e é aceita praticamente em todos os lugares. Não fique com muitos reais para cambiar depois nesses países, não caia nessa! Você terá dificuldade em encontrar lugares para essa troca, somente em cidades turísticas maiores e mais comerciais. E mesmo assim, vai ficar mais desvalorizado quando trocar pela moeda local. Leve mais dólar que real. Há vários lugares que aceitam cartão de crédito e é bom que tenha um bom limite. Mas não deixe de levar uma quantidade maior de dinheiro em espécie, com certeza vai precisar!


Por enquanto deixo aqui algumas das lições. Espero que sejam úteis para todos.



Texto: Izabel

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Comemorando

A todos os jipeiros, em especial aos landeiros, meus parabéns pelo seu dia!!!






Por: Izabel

quinta-feira, 28 de março de 2013

Balanço geral da viatura durante a expedição

Dessa vez essa postagem está mais na linguagem dos "mecânicos" de plantão:







Poucos defeitos na viatura durante os ~15.000Km até Ushuaia. Compartilho com vocês a experiência, o que foi revisado, o que valeu a pena ter feito e coisas simples a se verificar em casa que podem evitar grande problemas.

Caixa de transferência: detalhei nos posts anteriores (Forum 4x4) que existia vazamento. Ela foi montada com cautela e uma camada de silicone junto ao ressalto do retentor do eixo (um contorno externo). Resolveu 100%. Foi e voltou e está tudo absolutamente seco.  
Além disso, a caixa tem a relação de alta em 1:2. Foi excelente o desempenho nas longas retas patagônicas. Andando a 100Km/h o consumo foi bastante satisfatório. Resolvi trocar a embreagem antes de me aventurar. Isso se mostrou muito prudente, pois conforme posts detalhados anteriores a embreagem ia furar no garfo.

Faróis auxiliares: foram utilizados em duas oportunidades. Por atrasos, pegamos estrada no escuro e valeu o investimento.

Suspensão OME: simplesmente salvou minha vida... Em uma situação de perigo no rípio, o carro balançou com vento e buracos ao mesmo tempo, saiu do trilho, torceu e quando voltou a suspensão nem sequer continuou o balanço. Se fosse a original eu imagino que ia tombar...
Dois estepes foi peso extra. Não furamos nenhum pneu. O compressor de ar serviu para ajudar um argentino em apuros e só. Calibrei 33 libras, viajei por 37 dias e todos os pneus apresentavam 31 libras no retorno (já em casa).
*Os BF Goodrich são excelentes investimentos. Pouco desgaste e muita segurança. Quando cheguei, alguns amigos perguntaram se eu tinha trocado os pneus (no visual ainda estão zerados).

Galões de combustível: são necessários em poucos trechos. Se conseguir uma autonomia de 800Km pode seguir sem eles...

Sensor de nível: não deixe de instalar. O meu apitou um pequeno vazamento prontamente corrigido de forma simples. Foi cortada a ponta da mangueira e refeito o encaixe no radiador.
Se estivesse sem o sensor poderia ter um grave defeito (e caro) em terras estrangeiras...  

Inversor de energia: muito utilizado... vale a pena o investimento.

Macaco inflável: não utilizei ... ainda bem! Levarei sempre com esta finalidade! rsrsrrs


Defeitos ou problemas mecânicos que tive na viatura:

1) Soltou o cotovelo da turbina. Foi só recolocar no lugar e apertar mais a abraçadeira.

2) Perdi metade da antena do PX na ventania. A capa de estepe secundário que foi no bagageiro teve que ser amarrada com gomas para não voar. É muito vento... o consumo cai de 10/L para perto de 7 a 8 Km/L em determinadas situações. A autonomia cai e tem que ficar atento aos abastecimentos.

3) A correia do alternador começou a mascar pela borda de se enrolou no eixo do acoplamento viscoso. Tive sorte de acontecer com o carro parado enquanto aquecia ligado, já em Ushuaia. Colocada reserva sem maiores problemas.

4) Furo na mangueira (fininha) de retorno de água para o radiador. Alertado pelo WatchDog, foi reparada prontamente.

5) Folga na direção: Apareceu novamente a folga, que no meu caso, parece ser sempre no aperto do braço pitman. Não pára o carro na viagem mas atrapalha um pouco. Agora com tempo vou levar novamente no alinhador e tentar resolver definitivamente. Acho que colocar uma arruela de pressão antes da porca vai evitar futuros aborrecimentos...

6) Pequenos detalhes que importunaram: Quebra-sol, forro da porta, pino da fechadura, som e luz de cortesia... 
O carro chacoalha tanto nas costelas que tive que reapertar alguns parafusos no retorno para casa. O forro da porta quebrou um plug plástico e o pina da fechadura ficava vibrando fazendo barulho de chocalho. O som parou de funcionar. Na verdade funcionava, mas o plug de saída de áudio para as caixas se soltou. Foi só conectar novamente. O quebra-sol ficava descendo sozinho. Tirei e fiz uma gambi "embuchando" o eixinho de metal... rsrsrrsrs
Por fim, a luz de cortesia começou a acender como se a porta estivesse aberta. Aconteceu que com o "balançar" das costelas o fio do plug ficou raspando na carcaça até desencapar e inverteu o terra. Uma fita isolante e pronto.
Tentei amarrar com presilhas plásticas todos os fios e mangueiras, o máximo possível para evitar este tipo de desgaste. Imaginem com tudo "original"... problemas na certa.
*Vibra tanto os carros que é "normal" encontrar carros sem as lentes das lanternas pela estrada...



Fotos do problema com a correia e mangueira:





No mais foi só acelerar e curtir a paisagem...




Para as próximas viagens, a viatura está pronta.

Falta uma barraca de teto ... ainda chegaremos lá!




Texto: Hailton Jr.

segunda-feira, 4 de março de 2013

Hospedagens

Pessoal, como prometido, vou postando aqui algumas dicas e lições aprendidas nessa expedição. 

Começando então, aqui vai a lista de acomodações, hotéis, albergues e pousadas em que hospedamos no decorrer dessa expedição. Para quem está viajando de carro, ficam aqui as dicas. 

Em cada um, passamos de uma a quatro noites. A maioria foi só para passar uma noite. A lista está em ordem conforme os dias viajados. Farei um apanhado das hospedagens com meus elogios e críticas, assim vocês já ficam avisados! Coloquei todos os preços já convertidos em real. 

Os que estão sem foto é porque são fotos protegidas pelo site e não autorizadas para cópia. É só conferir no próprio site!




  • BossHouse Bed&Breakfast 
São Paulo/SP - Brasil
Excelente acomodação! É como se fosse um apartamento familiar com quarto, cozinha, banheiro privativo, um ótimo café da manhã e wi-fi. A rua é tranquila, o bairro é muito bom, é bonito lá. Para nós, foi uma cortesia de nossos amigos Clemente, Milena e família, muito agradáveis e hospitaleiros! Eles alugam diária para pessoas de todo o mundo que queiram conhecer São Paulo. Achei uma gracinha a decoração do quarto, com atitude sustentável!
Site: www.bosshousebb.com


  • San Silvestre Hotel 
Passo Fundo/RS - Brasil
Boa acomodação, bom atendimento, um bom hotel, porém um pouco antigo. Farto café da manhã, tem estacionamento, banheiro privativo e wi-fi. Bom para passar a noite. Pagamos R$ 182,00 a diária.


  • Portal Hotel
Santana do Livramento/RS - Brasil
Boa acomodação, bom atendimento, porém é um hotel antigo. Bom café da manhã, tem estacionamento (pago à parte), banheiro privativo e o wi-fi só funciona no saguão. Mas bom para quem está de passagem, como nós estávamos. Não registramos a diária. Fica na fronteira com Rivera-Uruguai.


  • Tacuarembó Hotel
Tacuarembó - Uruguai
Hotel com bom atendimento, mas um pouco antigo e ainda em reforma quando estávamos lá. Café da manhã, estacionamento, banheiro privativo (ruim) e o wi-fi só funcionava melhor no saguão. Não achei o quarto muito limpo, pelo menos o nosso. Pagamos por volta de R$ 150,00 a diária.


  • Falcone Hotel
Chivilcoy - Argentina
São vários chalés e o lugar é muito bonito. Porém, muitos pernilongos!!! Tem estacionamento, banheiro privativo, mas não tem wi-fi e o café da manhã não muito variado. Também não achei muito limpo. Pelo menos os donos são simpáticos e atendem muito bem. O lugar é bem familiar. Pagamos por volta de R$ 131,00 a diária.
Site: não encontrei o site, creio que eles não têm nenhum.


  • Costanera Hotel 
Puerto Madryn - Argentina
Um bom hotel, simples e confortável. Bom atendimento, estacionamento (reserva),  wi-fi, café da manhã, banheiro privativo. Há uma vista muito bonita da praia na sala do café da manhã. Pagamos por volta de R$ 155,00 a diária.
Site: não foi encontrado, reservamos pelo Booking.com. Porém, tenho um número de contato: 54 (28) 0447 3250.


  • Austral Hotel 
Comodoro Rivadavia - Argentina
É um hotel até muito chique para os padrões, pois nosso objetivo era poder ter algum conforto para dormir, mas em lugares simples. Não conseguimos hospedagem pela cidade, não tínhamos feito reserva, tudo lotado. É um hotel caro, mas conseguimos o melhor preço de lá em uma vaga em um quarto na parte antiga do hotel. Bom atendimento, ótimo café da manhã, banheiro privativo, wi-fi e estacionamento. Entretanto, pagamos por volta de R$ 246,00 a diária em um quarto antigo.
Site: www.australhotel.com.ar

  • Santa Cruz Hotel
Río Gallegos - Argentina
Bonito hotel, confortável e com bom atendimento. No dia, não conseguimos estacionamento, era só com reserva. Café da manhã, wi-fi, banheiro privativo. Pagamos por volta de R$ 208,00 a diária.


  • Kauyeken Hotel 
Ushuaia - Argentina
Estruturalmente é um hotel lindo. Fica bem localizado, em lugar bem tranquilo, junto à natureza. O interior dele também, nem se fala... todo rústico, tudo em madeira. Por ser um lugar muito frio, tudo é muito bem aquecido. Porém houve problemas com os nossos colegas de viagem: eles se hospedaram em um quarto com o aquecedor estragado que aquecia além da conta. O atendimento da recepção é bom. Há uma atendente colombiana que fala português muito bem, é simpática e solícita. Mas o serviço de uma garçonete do restaurante do hotel (que é terceirizado) deixa muito a desejar. No mais, todo restante da equipe é bom. Incluem o café da manhã, estacionamento, banheiro privativo, spa, sauna, mas só não tem wi-fi. Pagamos por volta de R$ 180,00 a diária, preço promocional na época.
Site: não foi encontrado, fizemos reserva pelo Booking.com. O telefone de contato de lá é (54) 29 0143 3041.


  • Hotel Hain 
Punta Arenas - Chile
É um hostel bacana ao entrar pela recepção, decoração rústica, com várias antiguidades e curiosidades sobre a cultura dos nativos da Patagônia. O hall é muito bonito e os proprietários foram muito simpáticos. É tudo em madeira, porém nosso quarto não tinha água aquecida e o aquecedor não funcionava. Daí nos arranjaram outro quarto. Mas o banheiro privativo não era muito bom, tinha telha transparente (acordamos com o sol nos olhos) e a limpeza deixava a desejar, tinha cheiro de mofo. Tem café da manhã, não tem estacionamento, mas tem wi-fi. Não queríamos continuar lá mais uma noite e acabamos procurando outro lugar. Pagamos por volta de R$ 130,00 a diária.


  • Hostal Chiloe  
Punta Arenas - Chile
Foi nossa outra opção na cidade, depois de sairmos do hotel anterior. Depois de procurarmos onde dormir, nós dois encontramos esse albergue que era nada mais nada menos que uma casa de família. Pelo menos os quartos são bons, limpos e confortáveis. Café da manhã (super simples), banheiro privativo, wi-fi e estacionamento (apesar de não conseguirmos estacionar nosso jipe por causa da altura do portão). Pagamos por volta de R$ 180,00 a diária.
Site: não encontrado. Encontrei apenas o endereço em sites de reservas de hotéis: Chiloe #1263, Punta Arenas, Chile.


  • Hostería Pehoe 
Torres del Paine - Chile
Foto: Izabel Pariz
Um espetáculo de pousada! Quartos aconchegantes, muito limpos e bem decorados, café da manhã farto, boa comida (restaurante), bom atendimento, estacionamento, wi-fi (meio lento), banheiro privativo, além da belíssima paisagem das torres e do lago bem ao lado. É um pouco caro, acabamos ficando por lá, mas conseguimos um preço mais barato que o normal do hotel. Pagamos por volta de R$ 372,00 a diária.
Site: não encontramos um exclusivo, somente de turismo e que cita o hotel - www.pehoe.cl


  • Hostería Los Barrancos 
El Calafate - Argentina
Uma ótima pousada! Decoração rústica, estacionamento, café da manhã, wi-fi, banheiro privativo, quartos bonitos e limpos, além do bom atendimento e simpatia dos donos. Pagamos por volta de R$ 156,00 a diária.


  • El Álamo  
El Chaltén - Argentina
Uma pousada muito bacana! Quartos confortáveis, limpos e bem arrumados, tudo muito novinho. Os donos atendem muito bem, tem estacionamento, banheiro privativo, café da manhã, wi-fi. Bem localizado. Pagamos por volta de R$ 140,00 a diária.


  • Plaza Hotel 
Chile Chico - Chile
Foto: Hailton Jr.
É mais como um alojamento. Um casarão com vários quartos, porém com banheiros coletivos. Estávamos muito cansados e já estava tarde quando encontramos esse único lugar para repousar. Estava tudo lotado por causa de um festival nas proximidades. O atendimento deixa a desejar, não tem estacionamento e muito menos wi-fi. Os banheiros não são limpos e em determinado horário, falta água quente. Não tem café da manhã. Pagamos por volta de R$ 91,00 a diária.
Site: não encontrado. Somente telefone: (67) 411215. 


  • Hotel Luiz Loyola 
Coihaique - Chile
Bom hotel. É antigo e histórico, um hotel familiar. A atendente era brasileira e muito simpática, estacionamento, banheiro privativo, wi-fi, café da manhã no quarto. Aceitam reais. Pagamos R$ 200,00 a diária.


  • Hotel Las Cabañas 
Chaitén - Chile
São chalés bem bacanas, frente ao mar. A dona é muito receptiva, tem estacionamento, wi-fi, banheiro privativo, cozinha, quartos confortáveis. Só não tem café da manhã e o aquecedor não funcionava. Pagamos por volta de R$ 133,20 a diária. 
Site: não encontrado. Não tenho nenhum contato, mas esses chalés ficam próximos a um posto de vendas de passagens para a balsa, frente à praia.


  • Ellenhaus Hostal 
Puerto Varas - Chile
Um albergue bacana. Bem rústico, em madeira, com muitos quartos e ambientes internos. Wi-fi, banheiro privativo, café da manhã, bom atendimento. Só não tem estacionamento. Pagamos por volta de R$ 152,00 a diária.



  • Sudbruck Hostería-Club 
Cerro Catedral / Bariloche - Argentina
Pousada linda com arquitetura interessantíssima, ficamos admirados! Atendimento muito bom, o dono é alemão e é uma figura, muito simpático. Café da manhã, estacionamento, wi-fi, banheiro privativo, quartos muito bacanas. Tem restaurante. Não registramos a diária, já tínhamos reservado pelo Booking.com, mas foi um bom preço.
Site: http://www.sudbruck.com


  • Maison Nomade Bed & Breakfast
Pucón - Chile
Excelente pousada em um lugar com muito verde e tranquilidade. Pertence a uma família muito hospitaleira. O dono é um francês simpático e receptivo. Tudo novinho e caprichado. Adoramos a estética da pousada, tudo feito com muito esmero e bom gosto. Café da manhã variado, estacionamento, conforto, banheiro privativo. Não tem wi-fi, mas se precisar de internet, terá que solicitar o 3G do dono que vai lhe emprestar sem problemas. Pagamos por volta de R$ 183,00 a diária.
Site: www.chile-nomade.com


  • Hotel Ibis Santiago Estación Central 
Santiago - Chile
Ibis é uma franquia, portanto sempre se espera que seus hotéis estejam dentro dos padrões da empresa. Não deixa nada a desejar. Bons quartos, café da manhã (geralmente pago à parte, mas não precisamos pagar por termos aproveitado uma promoção do Booking.com), bom wi-fi, estacionamento, restaurante, bom atendimento. Pagamos por volta de R$ 152,00 a diária.



  • Hotel Ibis Mendoza   
Mendoza - Argentina
O mesmo padrão para o Ibis de Mendoza, com a diferença da localização. O endereço não estava muito preciso e ficou difícil de achar. É sempre bom estar atento, a atendente quase nos cobrou 3 diárias (confusão no cadastro). Pagamos por volta de R$ 147,00.



  • Savannah Córdoba Hotel
Córdoba - Argentina
Hotel regular, dá para passar a noite tranquilamente. A estrutura é um pouco antiga, bom atendimento, tem wi-fi, café da manhã, banheiro privativo. Não tem estacionamento próprio, teria que pagar um estacionamento próximo. Pelo menos é no centro, dá para ir a pé comer alguma coisa. Pagamos por volta de R$ 114,00 a diária.
Site: savannahcordobahotel.blogspot.com.br



  • Gran Hotel Royal 
Resistencia - Argentina
Um hotel regular, mais antigo. Tem wi-fi, banheiro privativo, café da manhã, atendimento regular. Não tem estacionamento. O hotel tem restaurante e como estava lotado no dia, precisávamos jantar e não quiseram nos atender. Pagamos por volta de R$ 82,00 a diária.
Site: www.granhotelroyal.com.ar





  • Hotel San Rafael Comfort Class Hotel
Foz do Iguaçu/PR - Brasil
Muito bom hotel, com ótimo atendimento, quartos confortáveis, banheiro privativo, wi-fi, farto café da manhã. Não deixa nada a desejar. E fica no centro, perto de tudo. Fomos muito bem atendidos também quanto ao transporte para fazer compras. Pagamos R$ 163,00 a diária.
Site: www.hotelsanrafael.net



  • Dunamys  Hotel
Curitiba/PR - Brasil
Ótimo hotel, muito confortável. Tem bom atendimento, estacionamento, wi-fi, café da manhã, banheiro privativo. Pagamos R$ 150,00 a diária.
Site: www.dunamyshotel.com.br



Não é porque somos exigentes quanto às hospedagens, mas há detalhes que às vezes contam muito pra quem está tão longe de casa como estávamos e ainda mais viajando dentro de um jipe, por mais preparado e confortável que possa estar. Não procurávamos luxo, esse não era o objetivo.

Para nós, o mais importante é que o lugar de hospedagem tivesse no mínimo um lugar para estacionar e uma limpeza regular. Claro que houve situação em que nem isso tínhamos direito, também fizemos uso de barraca por termos ficado presos na estrada e não pense que isso nunca lhe acontecerá! Leve sua barraca e outros acessórios de Camping, nunca se sabe!

Espero que as dicas sejam proveitosas para alguém.
Até breve!




Por: Izabel

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Lembrete

Pessoal, eu havia colocado os álbuns de fotos do próprio Picasa aqui, álbum por álbum, mas não deu certo.

Quem ainda não navegou pelo menu FOTOS, pode ver os links dos álbuns nesta postagem também, só para constar. É só clicar em cada um:

Uruguai

Argentina

Chile

Brasil

Só lembrete!




Por: Izabel

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Novo item no blog

Estão vendo algo novo logo acima, no menu?

Está assim: POSTS / FOTOS.

Coloquei uma nova página no blog. Uma página de fotos com vários momentos da nossa expedição FIM DO MUNDO. 

É só clicar em FOTOS e nos links de cada país.

Podem comentar à vontade nas próprias fotos!

Mais informações em breve...



Por: Izabel






sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Incrementando o blog


Pessoal, gostaria de avisar a vocês que não paramos por aqui. O blog não acabou não! Temos muito por fazer...

No momento, estou selecionando as melhores fotos e colocarei pelo menos uma boa parte delas em uma página separada no menu acima. Muito em breve deixarei o link dos álbuns.

Por incrível que pareça, ainda estamos voltando à vida normal e colocando tudo no lugar. Portanto, aguardem só um pouquinho mais! Para terem uma ideia, nosso jipe nem foi lavado ainda rsrsrs... estamos nos reorganizando. 

Ainda deixaremos algumas dicas e observações sobre nossa viagem, pois sei que muitos que nos seguiram aqui já pensam em fazer uma expedição semelhante um dia e sei que algumas de nossas orientações já servirão de apoio.

Agradecemos a todos os que nos acompanharam até hoje e que continuem por aqui. Apreciamos todas as visitas e comentários.

Até breve!!!




Por: Izabel




domingo, 3 de fevereiro de 2013

35° ao 37° dias de viagem: Brasil - voltando para casa

35° dia: Curitiba - Brasil

Depois de fazermos as compras no Paraguai pela manhã, no dia 28/01, pegamos estrada para ir para casa. Finalmente (felizmente ou não rsrs) era tempo de voltar para nosso aconchego. Nossa próxima parada: Curitiba - PR.

Mas antes, para não ficarmos mortos de cansaço, procuramos hotéis pelo GPS. Encontramos um. Mas fomos comer em uma lanchonete primeiro, já famintos. Passamos aquela noite em Curitiba para pegar a estrada pela manhã mesmo.



_________________________________
36° dia: em direção à nossa terrinha - Brasil 

Saímos do hotel no dia 29/01 por volta das 10 horas da manhã. Rodamos uns 400 km até Guarujá. Preferimos fazer essa rota na volta, passando pelo litoral, para sair do trânsito de São Paulo. Paramos na estrada pra despedirmos de nossos companheiros e novos amigos também: João e Roberta, do LR vermelho. 


Um japa depois da viagem. João e Roberta conosco - foto de iPhone  (mais antiga)- desculpem o fotógrafo! rsrs

"João e Roberta, passamos por ótimos momentos e momentos de aperto também!!!! Bom demais ter conhecido vocês, foram nossos companheiros desde o início da viagem (em Registro - SP) até o fim (Guarujá - SP). Grande abraço, muita sorte e nos encontramos mais por aí!"


Foto de iPhone

Depois, seguimos viagem até nossa casa. Mas sair de Guarujá à tardinha até chegar em Timóteo não foi fácil não. Foi muito puxado! Mas decidimos ir direto. 



_________________________________
37° e último dia: Timóteo - Brasil - nosso lar

Chegamos em Timóteo, MG, às 5 da manhã, no dia 31/01. Pegamos muita chuva e neblina na estrada. Acho que só vamos nos recuperar totalmente dessa expedição depois de uma semana.


Foto de iPhone

Ganhei uma bela dor no braço que perdura por dias...rsrs... também tentei não cochilar na volta, mas é impossível, o cansaço é maior! O Júnior está mais inteiro que eu! rsrsrs... e nosso jipe, sem comentários!! Esse foi valente!

Aprendemos várias lições que cada um leva para si. Algumas lições e dicas colocaremos aqui no blog em postagens futuras. 

E enfim, há outras jóias que sempre ficarão guardadas com a gente: a amizade que se conquista, o apoio que se dá e se recebe em meio às dificuldades e aprender a lidar com as particularidades de cada um.

Obrigada por fazerem parte dessa história durante toda a aventura na estrada: Moura, Roberta, Josely, Cláudio, Fernando, Alex, Mili, Juca e Ludmila, nossos companheiros do comboio da expedição. Agradecimentos aos amigos (landeiros ou não) e familiares que nos apoiaram também... impossível citar todos! Mas eles sabem quem são.

A gente acaba deixando coisas pequenas para trás e se depara com a imensidão desse mundo. Depois a gente logo percebe que essas coisas pequenas são mesmo minúsculas, microscópicas, nunca poderão lhe atingir, basta buscar outros horizontes, ser maior. Abrir a cabeça para outras culturas, outras formas de viver e para a natureza ali presente, lhe faz crescer dentro de si... lhe faz abrir a mente.



Por: Izabel

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Do 31º ao 34º dias: Argentina e Brasil

31º dia: Córdoba - Argentina

No dia 25/01/2013, saímos de Mendoza e partimos para Córdoba, só para passar a noite. Ouvimos falar que lá é bonito, mas não vimos nada demais na cidade. Acredito que nos arredores sim. 

Mas, no caminho para Córdoba, fomos presenteados pela beleza das montanhas e da vista do alto. Subimos 2.250 metros de altura. Para que imagine a altura de lá, subimos até as nuvens. Passamos entre elas. 




__________________________________
32º dia: Resistencia - Argentina

No dia 26/01, saímos cedo de Córdoba. Passamos por Corrientes, cidade vizinha bem mais bonita. Foi um dia longo e cansativo de viagem.

Quando chegamos em Resistencia, nos decepcionamos um pouco rsrsrsrs... o caminho era bonito, mas a cidade não tem nada de belo. Voltando à memória, Resistencia (sem acento mesmo) foi a cidade em que acabou a luz quando a seleção brasileira foi jogar lá no ano passado... rsrsrs....

Ficamos lá só pra passar a noite. O dia seguinte seria muito melhor.



__________________________________
33º e 34º dias: Foz do Iguaçu - Brasil


Finalmente, no dia 27/01, entramos em nosso país. Passamos pela aduana pra carimbar passaporte, mas depois ficamos sabendo que não era necessário.

Jantamos, chegamos no hotel e fomos descansar para a maratona do outro dia.

No dia seguinte, pela manhã, fomos conhecer uma das 7 maravilhas do mundo: as Cataratas do Iguaçu. Mas fomos com nossos jipes. Recomendaram-nos fazer o passeio de barco e a trilha Macuco, mas como estávamos esgotados, preferimos ir até as trilhas mais próximas mesmo. 


Todos felizes em poder beber água brasileira, depois de mais de 1 mês kkkkkkk - dentro do ônibus que leva às Cataratas do Iguaçu







Quatis entre turistas


Queríamos entrar no Paraguai naquela noite, mas ficamos sabendo que todas as lojas fecham às 16 horas. Daí combinamos com o motorista de uma van, Paulo, de entrar novamente na Argentina (Puerto Iguazú) para algumas comprinhas em um free shop. É muito melhor pagar um motorista para lhe levar lá pois é menos problemático para passar pela aduana (ele recomendou só a identidade). Combinamos também com ele de nos levar ao Paraguai na manhã do dia seguinte.

Acordamos cedinho e fomos ao Paraguai para fazer algumas compras. Isso quer dizer que podemos (quem sabe) acrescentar mais um país em nossa lista rsrsrsrs... apesar de só passarmos pelas lojas.

E então, ao meio-dia, pegamos estrada novamente. Nosso caminho para casa.



Por: Izabel
Editado por: Hailton Jr.


segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Do 27º ao 30º dias: Chile e Argentina

27º dia: Santiago - Chile


Na manhã do dia 21/01, ainda estávamos em Pucón. Lá mesmo nos despedimos de Josy, Cláudio e o neto Fernando. Eles nos acompanharam durante a expedição, mas de Pucón tomariam rumo ao Peru. 

Boa viagem, Josy, Cláudio e Fernando!!! Que aproveitem bastante o percurso até Peru! Legal demais ter conhecido vocês!!!

Depois saímos de Pucón para pegar estrada até Santiago do Chile. Lá seria só uma passagem. Não é nossa intenção fazer tour por cidade grande. A proposta é outra desde o começo.

Íamos até Chillán, mas conseguimos estender a viagem. Foi a melhor coisa que fizemos, saberão o porquê depois.

Chegando lá, fomos direto procurar o hotel. Mas lá é capital, cidade grande, tumultuada. O centrão se parece muito com Belo Horizonte, pelas ruas arborizadas, arquitetura barroca e suas subidas e descidas.

Tentando chegar ao hotel - foto de iPhone
Santiago é muito poluída e caótica. Ficamos lá só pra passar a noite mesmo.




Por: Izabel
Editado por: Hailton Jr.



___________________________________
28º dia: Paso Los Libertadores - Argentina


Dia 22/01. Ficamos presos na estrada para subir os caracóis (Passo Libertadores entre Santiago e Mendoza), e a estrada fica fechada de 12 em 12h.

De dia, descem os carros da Argentina para o Chile e após as 20h sobem os carros do Chile para Argentina.


Foto de iPhone
Foto de iPhone
Momentos da fila kilométrica - fotos de iPhone

Chegamos na ruta lá pelas 14h e ficamos esperando dar 20h (Soda limonada). Para piorar, acabamos de subir (a estrada é insana...), passamos a aduana e logo a frente a polícia mandou todos encostarem. Havia caído uma barreira (coisa que descobrimos ser comum nesta época ali) e ficamos parados até 7h da manhã do dia seguinte.

Montamos a barraca, inflamos o colchão, nos enfiamos nos sacos de dormir... mas o frio era bravo. De manhã, perto das 7h, o guarda me informou que faziam 5 graus positivos naquele momento (e já tinha sol).

Fato positivo foi encontrarmos com duas equipes que correram o Dakar2013. Uma equipe de pickup Argentina com uma DodgeRAM fantástica e um caminhão gigante da equipe da Espanha... sem base os equipamentos e a estrutura da equipe espanhola!


Foto de iPhone
Foto de GoPro
Foto de GoPro
Fotos de iPhone

Quem não conhece, a famosa estrada é essa:

Assim, fizemos a travessia da Cordilheira dos Andes de carro a mais de 4.000 metros de altitude e passamos em um túnel por baixo do pico Aconcágua, o mais alto das Américas.


Momento em que estava a mais de 3000 metros de altura no GPS - foto de iPhone
Foto de iPhone
Por: Hailton Jr.

Izabel completando: "nesse dia, nem banho tomamos, impossível! Hotel lotado! Pelo menos conseguimos jantar alguma coisa."


____________________________________
29º e 30º dias: Mendoza - Argentina



João, Roberta, Júnior e eu chegamos em Mendoza, terra das vinícolas, no dia 23/01/2013. Ficamos duas noites.

No mesmo dia da chegada, já à noite, conhecemos pessoalmente o jipeiro argentino Pablo Toto Peña, amigo de João, que é de um grupo de LR na internet. 


Júnior, Pablo, João e Ariel
As Land's de todos
Fonte do parque em Mendoza - Roberta e Izabel

Foi muito bacana. Ele nos levou a um parque da cidade para um piquenique com seus familiares durante um concerto musical. O parque estava lotado! Tudo muito bem organizado, as pessoas lá vão com suas famílias, levam suas mesinhas e cadeirinhas, lanches, espalham pela grama e cada um na sua. Ninguém incomoda ninguém. Pablo, esposa e familiares foram muito simpáticos com a gente. Gracias, Pablo!

O dia seguinte era dia de visitar vinícolas. Fomos só em uma, apesar de haver várias em Mendoza: Bodega López. Aprendemos sobre o processo de fabricação de vinhos com a guia Rocío. Esse foi um dia pra descansar da estrada!


Bodega López - foto de iPhone

Foto de iPhone

Foto de iPhone
Foto de iPhone


Por: Izabel